0

0

domingo, dezembro 23, 2012

Ressignificando: bola de natal

Retrospectivas de fotografias de bolas de natal


Em dezembro de 2007, fotografei uma bola de natal que não tinha reflexo nítido, rs E assim, inconscientemente comecei a minha coleção de fotografias de bolas de natal.

Em dezembro de 2010, já havia assumido a minha paixão por reflexos, e assim, ao encontrar com uma bola de natal pendurada no teto do hotel fazenda em Moreno-PE onde estava participando do encontro de cineclubistas, registrei o momento.

Em dezembro de 2011, depois de passar todo santo dia pela árvore da empresa em que trabalhava paquerando os reflexos das bolas de natal, parei de resistir e fotografei.

No clima de festa, naquele mês ainda, fui almoçar em família e me deslumbrei com encontro entre vidros duplos e uma árvore de natal.

Em 2012, oficializei a minha obsessão por reflexos em bolas de natal. Encontrei uma grande bola em uma loja de departamentos, comprei sem bem saber o quanto iria fotografá-la.

Comecei pelo meu jardim.
Levei-a para passear em Penedo-AL,

Boca da Mata-AL,
e Palmeira dos Índios.
Em Boca da Mata reencontrei uma bola amarela pendurada no teto.
E em Palmeira encontrei uma bola ainda maior e vermelha.

Vou ali aumentar a coleção de fotos e bolas e depois atualizo aqui, rs




2012 - parte I

No final de 2011, quando refletia sobre meus desejos e expectativas para 2012, não tinha clareza em meus pensamentos. Não sabia o que desejar, consequentemente não sabia o que esperar.

Nos primeiros meses do novo ano busquei me concentrar no meu amadurecimento profissional, não sabia bem como. Naquela época o meu lado profissional estava focado na gestão de conteúdo online e no desejo de conseguir expandir meus horizontes.

Juntei esforços e organizei os pensamentos. Meu futuro parecia estar clareando, mas na verdade estava "nublando".

E no mês de abril a angústia foi minha companheira, pois precisava encontrar um novo rumo (um novo emprego), mas nem sabia direito onde procurar.

Felizmente, no fim daquele mês uma nova oportunidade consolidou-se.

Deixei de ser gestora de conteúdo para assumir o cargo de produtora cultural em audiovisual (Analista em audiovisual), uma nova fase bem desafiadora, que me dava um frio na barriga só de imaginar.

Poderia descrever com todos os detalhes o lado bom e o lado ruim da minha vivência nos últimos sete meses como produtora cultural, e ainda assim seria difícil de passar a real dimensão do que é ser analista em audiovisual.

Quando comecei em maio, dezembro parecia tão distante. Hoje estou aqui me despedindo de dezembro, relembrando os últimos meses, satisfeita com a conclusão desta primeira fase e ansiosa pelo novo ano.