0

0

quinta-feira, maio 31, 2007

22 anos

Dois patinhos na lagoa
vinte e dois
...

Meu primeiro texto com essa idade?!
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Pena q eu não tô bem inspirada, mas tava a fim de atualizar essa birosca aki.


Dorme em Paz(Mauro Motoki)
Ludov

Dorme em paz ja é madrugada
Nao de ouvidos aos ruidos
A essa falta de ar
Meu amor nao pense mais em nada
Feche os olhos e as janelas
Deixe o sono te levar pelo escuro

Ser donzela ou matar mil dragoes
Ter cautela ou seguir furacoes
Deixa o sono te levar

Deixa eu te ninar
Dedilhar os teus cabelos
Teus pesadelos vao terminar

Ja é tarde pra mais uma rodada
Seus problemas e dilemas nao estao mais aqui
Tanto faz ser vitima ou culpada
Abra os olhos e as janelas
Deixa o sol te iluminar
Deixe tudo pra la

Se teus sonhos vem na contramao
Se teus monstros veem na escuridao
Deixa o sol te iluminar

Deixa eu te ninar
Deixa eu perder os meus dedos nos teus cabelos
Teus pesadelos vao terminar

Fala a verdade por favor
Diz que e mentira esse rumor
Que voce vive sofrendo
Que voce anda morrendo de pavor

Fala a verdade
Diz que e mentira
Que voce vive sofrendo
Que voce anda morrendo por amor
Fala a verdade

terça-feira, maio 29, 2007

Tu em mim

Sempre tem alguém para empatar, no nosso caso eu empatava uma história que já existia, e de outro lado a namorada não queria se tornar a ex.

Por uma madrugada ela se tornou, e nos passamos um dia inteiro conversando, primeiro ao telefone, depois resolvemos nos ver...
Pois é, por um dia a nossa conversa não tinha que acabar, nem teve por quem ser interrompida...
Fomos nós, meu bem, meu amor, e o que mais demonstrasse o carinho e a paixão que sentiamos.

Mas ela, a ex ainda empatava, porque era recente, porque ainda significava muito na vida dele, porque a cabeça dele estava confusa...
E assim não ficamos, andamos de mãos dadas, tão carinhoso, mas não nos beijamos...

Ele mais uma vez fez parte do meu mundo, foi aos meus compromissos comigo e revelou um lado andarilho tão parecido com o meu. Levei-o para comer algo que para ele era diferente e ele quis comer o mesmo que eu e gostou. Andamos mais um pouco e cansamos de conversar em pé e fomos conversar sentados no banco da praça.

Eu nunca tinha me sentido tão feliz ou tão solta, eu nunca tinha estado com alguém que me quisesse tão bem, e a quem eu pudesse querer tão bem também, eu estava radiante...

Mas aí a realidade nos chamou de volta.
As confusões da cabeça dele, a história que ele ainda tinha que resolver, as influências do passado, de já ter tentado terminar com ela, de outros relacionamentos mal resolvidos, de não saber lidar com o incerto, com a solidão...

E tudo que eu mais queria era ajudá-lo ou fazer ele entender que o que ele tem de superar, só pode ser feito se ele estiver sozinho...

Eu não sei se ele vai voltar para ela, talvez ele nem precise, porque ela ainda tá tão presente na vida dele, que se ele não deixar claro o que ele quer, eles vão continuar juntos...
Ele precisa resolver os problemas com o passado e com o presente, mas ainda assim, talvez eu não possa estar nem em seu presente, nem em seu futuro.

Mesmo querendo acreditar que tudo pode ser uma questão de escolha... E que se ele quisesse eu estaria na vida dele de qualquer maneira.
E que ele vai estar na minha vida mesmo me afastando da dele, que ele vai estar em mim e eu nele, mesmo que nessa dimensão não seja real...

segunda-feira, maio 28, 2007

Eu em ti

Escrito em 21 de maio de 2007
Era nossa primeira conversa, tinha só dois dias que haviamos nos conhecido, mas não parecia, ainda mais quando sem nem hesitar ele começou a me chamar de Lari. Eu me assustei, pensei "já", mas achei que era uma demonstração de carinho tão linda, que também fui logo tratando de arranjar um apelido para ele. Poxa o apelido mais comum para Felipe é Lipe ou até Felipinho, mas eu não tava afim de ser comum, eu queria chamá-lo de um jeito só meu, kkkkkkk Prepotente não? Então decidi-me por "Fê", e ainda brinquei dizendo que fé era o que tinhamos que ter para acreditar que aquilo tudo que ali começavamos a viver era a mais pura e espontânea realidade. Ele relutou quando eu falei de fé, mas não rejeitou o "Fê", que um pouco depois começou a ter o diminutivo tb, "Fêzinho", e para mim tb, "Larinha".
Usamos mais o apelido na net, mas também é onde mais convivemos e onde vamos construindo o nosso relacionamento. Podemos ainda não ter tanta intimidade pessoalmente, mas também só saimos juntos uma vez, e como eu não sabia o que ele realmente queria comigo eu me contive, e que tarefa difícil, ter ele ao lado e ter de estar longe. Mas a nossa troca de olhares é o mais impressionante de tudo, pois eu posso tentar disfarçar o que for, que ele sempre desvenda o meu olhar, quando não adivinha meu pensamento.
Nos vimos quatro vezes só, e em todas essas ocasiões os nossos olhares se conectavam, mesmo quando se escondiam, mesmo quando nada tinham p dizer, mesmo quando nem podiam se expressar tanto. E se nessas primeiras trocas com intensidade contida já fomos tão comunicativos e inexplicavelmente intensos, imagina quando pudermos nos perder um no outro não só em palavras e pensamentos e olhares, mas de corpo e alma também, quando eu puder gritar para quem quiser ouvir e p quem não quiser tb que eu to em ti e tu está em mim.
Eu me perco em ti sempre.
E acho q a primeira vez q isso aconteceu realmente foi por conta daquele isqueiro, foi por você ter olhado p mim depois de apanhá-lo, foi por poder ver aquele seu sorriso para o isqueiro, e por poder chamar a sua atenção e lhe informar q não fora vc que o derrubara. Por você ter tocado no meu braço para demonstrar que tava gostando da conversa comigo, por me perguntar se eu tava gostando da conversa.
Foi nesse dia mesmo, nessa conversa de dois desconhecidos que eu me perdi em você desde o primeiro momento. Eu também tive que tomar meu banho de água fria, afinal você estava numa outra história, e não achei que você fosse querer fazer parte só da minha. Eu custei p acreditar que você me queria, que você também tinha se perdido em mim, mais ainda para acreditar que você vai começar essa vida comigo.
Mas é só ler suas palavras, escutar sua voz, pensar em estar ao seu lado ou poder estar ao seu lado, que eu esqueço as dúvidas, mando embora o medo, esqueço do mundo, e só quero saber de nós, só quero viver o nós, so quero que nos percamos juntos, que nos acabemos juntos...

domingo, maio 27, 2007

Tá chegando...


Eu sei que eu escolhi uma péssima cor, mas ta escrito: "Hoje é dia, e virou noite, durante a madrugada daquele dia, que não era dia, e deu 6:55, e o choro daquele ser ecoou pela primeir vez.!
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Talvez um tanto brega, mas foi a montagem p comemorar meu niver do ano passado. Fui em quem fiz as fotos, a montagem e o texto...
kkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Bjos

sábado, maio 26, 2007

Saudade de tu, meu desejo



Ele nos viu num reflexo...

E hoje eu penso, estamos vivendo esse reflexo? Estamos vendo esse reflexo juntos?

Porque não, se o que eu quero é estar ao seu lado e se o que vc quer é estar ao meu... O vidro não está mais entre nós... Talvez ainda haja a distância, e o caminho a ser percorrido, mas já vencemos alguns ou muitos obstáculos e podemos vencer tantos outros...

Somos parecidos somos diferentes... Revezamos entre nos ver refletidos nos olhares um do outro, de contemplarmo-nos nos sorrisos, nas lágrimas e nas palavras... De não querer tá longe, e de sofrer com a saudade, com os desencontros, com as impossibilidades...

O seu existir completa o meu, mas será que vai dar certo?! Se depender da minha escolha, eu agarantcho...

No dia dessa foto estavamos trabalhando em conjunto, com adrenalina no sangue e câmeras nas mãos...

segunda-feira, maio 21, 2007


Cantiga da madrugada

Mesmo com toda troca de argumentos e de carinho ainda era difícil de acreditar em toda a dinâmica e intensidade que poderia existir entre dois seres que mal se conheciam. A madrugada acolheu-os no primeiro dia, no segundo e esticou-se para que eles se conhecessem melhor no terceiro.
Combinaram então a madrugada com a tarde e o anoitecer, e assim o encontro e a conversa do quarto dia permitiram que eles se desvendassem mais um pouco entre as ruas do centro, num mundo que até então era só dela. E continuaram tentando descobrir o quando podiam aproveitar da madrugada e dos outros horários do dia, pois depois daquele dia ela enxergara encantadoramente que o hoje estava no ontem e no amanhã.
As conversas do quinto dia pelo fone à tarde e a pela net a noite. No sexto dia pediram arrego a uma linda manhã. Ainda esperaram pelo sétimo dia e a acolhida que a madrugada sempre lhes oferecera. E neste dia a net deixou de ser o único meio de comunicação da madrugada, teve início então as conversas ao telefone, de olhos fechados quase dormindo e só ouvindo as vozes um do outro.
Nos dias que se seguiram veio a troca de e-mails e com isso lindas composições foram sendo dedicadas de um para o outro. Conversas, composições e vozes de madrugada, definitivamente ela não só acolhia o que eles sentiam como se tornara a melhor amiga dos dois. Embalava e unia eles, permitia que desejassem estar cada vez mais juntos ou realizassem o desejo de estar juntos ao menos naquele momento.
E não se cansavam serem acolhidos por ela e de passá-la em claro e de pedir permissão aos outros horários do dia, com ou sem sol, para colherem os frutos deste contato único. A chuva vez ou outra dava o ar da sua graça, só para lembrá-los que dessa vez poderiam desfrutar da chuva juntos ou esconderem-se dela debaixo do guarda-chuva.
Riam das mesmas coisas, adivinhavam pensamentos e faziam mais um pelo outro do que imaginaram que alguém poderia fazer por ou para eles. Sempre haveria incertezas, pois era difícil acreditar que um sentimento daquele estivesse aflorando ou que suas flores não murchariam no dia seguinte.
Contudo o ontem e o hoje abriram espaço para o amanhã. E os dois não cansavam de escrever, de falar, de sorrir, sempre querendo mais... Querendo principalmente libertar-se das dúvidas, dos problemas, das decepções... Só tinha espaço para palavras espontaneamente belas e sentimento.
Só tinha espaço para os dois, um espaço onde eles eram mais, eram eles, eram um e o outro. Suas mentes nunca parariam de fervilhar, pois o encontro deles fazia tudo mais simples, mais proveitoso, tudo tinha mais sentido, conspirava, sintonizava, ploriferava... Tudo ou quase tudo, mas principalmente os dois.

sexta-feira, maio 18, 2007

F.S. & L.L.

Gênio do Tempo
à Larinha 16-05-2007 00:28
Retorno ao passado como o gênio do tempo... aqui escrevo palavras... e você esta ai sob este céu azul, o mesmo céu que me contemplava... céu que conspira... conspira o amor dos eternos mortais... ainda não existo... sou o não-ser... aqui, dia 5, não podes me esperar, permitir ou viver... não sou... só estou em algum lugar por ai. O que contemplas no céu? O que procuras a sombra da arvore? Qual caleidoscópio, que ela prisma para ti? Sempre olhei para o céu, procurava as estrelas aquelas longínquas deusas... Guarda este dia! Guarda esta hora... guarda perto, flor de agora! Pois, como Gênio do Tempo, venho te sussurrar ao pé de teu ouvido: "a sombra da arvore não há de tardar... as estrelas conspiram... nós emos de nos encontrar!"


Reposta ao Gênio do TEmpo
à Fezinho 16-05-2007 7:01
Eu com as flores, vc com as estrelas, eu contemplando o céu tão deslumbrante à sombra de uma árvore tão acolhedera e vc em seu mundo tão tranquilo a observar e esperar as estrelas. Eu não sonhava com vc, pensava até que uma pessoa como vc nunca poderia cruzar o meu caminho. E vc sem saber que precisaria acreditar que existia mais no seu futuro do que vc ainda podia compreender. Eu queria mais, mesmo sem saber o q. Queria crescer, com sorrisos e lágrimas, com palavras e olhares. Vc queria viver, queria saber que existia alguém diferente de tudo que já vivera e vira. Vc sussurou no meu ouvido e eu aceitei o convite, eu aceitei estar do lado de alguém que eu nem conhecia, eu escolhi mergulhar no seu olhar, querer que vc me lesse, me desvendasse, me vivesse. Vc aceitou o meu olhar, a minha companhia, o meu viver, mas ainda dúvida que tudo isso possa ser verdade... E eu tento lhe provar, tento lhe mostrar que as suas palavras dizem mais do que vc se permite viver... E vc me prova através das palavras que eu estou num sonho que pode se tornar realidade, que estar em seus braços é como estar em suas palavras...
E penso então que o que me resta é sussurar em seu ouvido: "Vem viver comigo... E só fechar os olhos e escutar o som da minha voz... É só dizer sim..."

quarta-feira, maio 16, 2007

Aos pedaços

Mesmo quando tinha um só dia, vc já estava em mim...
É claro q p ficar e p definir a intensidade com que ficaria precisava de tempo, de convivência, e de tudo que as palavras poderiam nos oferecer...
Antes mesmo de completar uma semana, vc já me vinha aos pedaços, conexões de coisas cotidianas com os pequenos, médios ou grandes detalhes de vc:
*Falar em filosofia, lembrar de vc
*Não dormir, permitia que vc ficasse mais vivo no meu pensamento, até mesmo imaginando q vc tava dormindo e eu não...
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
*Passear pelo Centro, me fazia lembrar de conversas e de cenas...
*Escutar o cd que vc me deu obviamente era e é pensar em vc,
*MAs identificar-nos em ao menos um trechinho de cada música, não é explicável,
*Conversar com quem quer q fosse era pensar em contar sobre vc ou ao menos em dizer q eu devia a minha felicidade a alguém muito especial,
*Pensar em programações e imaginar se vc não poderia ir junto,
*Ver coisas legais e querer compartilhar com vc,
*Tirar fotos e correr p lhe mostrar,

ahhhhhhhhh, tô babando mto já, e tô com sono tb
E só tende a ficar mais intenso, pois mesmo sem teclarmos pela madrugada a nossa comunicação persiste, eu sinto falta de ficar acordada teclando, mas eu não tenho como ficar esperando já que vc não tem hora p entrar...
Espero q vc consiga dormir hj...
Bjos

segunda-feira, maio 14, 2007

Meu desvelar em você e o seu desvelar em mim

"Mergulhe na doce melancolia do que tem acontecido..."

Esse convite me fez escrever, ou ao menos tentar.
É difícil lidar com as perdas e os ganhos, mas o que não é difícil?! Duro acreditar que a culpa por algo que não deu certo não é exclusivamente sua. Que os seus defeitos não valem mais do que suas qualidades. Que estar sozinho é saudável e necessário, principalmente para potencializar um relacionamento. Que estar junto é a melhor coisa do mundo com seus altos e baixos, ou até com os meio termos.

Sempre são muitas coisas, muitas pessoas, muitos sentimentos, muitas palavras, muitos silêncios.

Mas há uma semana eu comecei uma nova fase, uma nova fase dentro de uma fase já muito boa, pois permanecer na UFAL esse ano, o 5º ano, o ano fanta, foi a melhor coisa que poderia ter me acontecido.
E p completar eu encontro por acaso uma sintonia, algo além do que eu sempre quis e sempre procurei. E deixo que façam a minha vida ficar de pernas p ar, sem nem imaginar o quão bom isso seria, pois é está sendo maravilhoso...

Os olhares já disseram muito desde o princípio, o entrosamento foi imediato, mas exigimos que as coisas façam sentido, tenham explicação, lógica, obedeçam a um raciocínio... O que nos permite ir mais a fundo, mas tb nos faz ter receio... Eu com minha intensidade nunca fui muito de dar vazão ao receio, e olha q me considero uma pessoa medrosa, mas a vida que pulsa em minha espontaneidade vence o medo sempre que preciso...

Com a convivência só apareciam coisas melhores, sorrisos, gracejos, reconhecimento, identificação, desejos e de minha parte até sonhos, vislumbrar um futuro tão sontonizado quanto o agora demonstrou que pode ser, ai ai ai ai ai Porque não pode ser sempre mais?! Deve ser sempre mais...

E as palavras, os momentos e o sentimento, tudo tão doce, tudo tão melancólico, tudo tão especial. Nada apagaria, nem apagará. O que eu comecei a aprender, eu não vou esquecer. O que eu permiti que me conhecessem me fez alguém tão melhor, ou me fez eu, em tão pouco espaço de tempo, parecia até uma eternidade, ainda na melancolia da lembrança parece.

E esse gostinho de quero mais que eu nunca tinha sentido tão verdadeiro e paupável, e a reciprocidade que eu não acreditava ser possível, a beleza no estar junto, o ser cúmplice q eu ainda não conhecia, e o desejo, o carinho, o olhar, o sorriso, os cachos, e vc...

E vc?!
Eu só posso responder por mim,
eu posso e vou esperar por vc.

domingo, maio 13, 2007

Cupido - Maria Rita

Composição: Cláudio Lins
Eu vi quando você me viu
Seus olhos pousaram nos meus
Num arrepio sutil
Eu vi... pois é, eu reparei

Você me tirou pra dançar
Sem nunca sair do lugar
Sem botar os pés no chão
Sem música pra acompanhar

Foi só por um segundo
Todo o tempo do mundo
E o mundo todo se perdeu

Eu vi quando você me viu
Seus olhos buscaram nos meus
O mesmo pecado febril
Eu vi... pois é, eu reparei

Você me tirou todo o ar
Pra que eu pudesse respirar
Eu sei que ninguém percebeu
Foi só você e eu

Foi só por um segundo
Todo o tempo do mundo
E o mundo todo se perdeu (2x)
Ficou só você eu eu
Quando você me viu...

quarta-feira, maio 09, 2007

Nosso CD

Normalmente se tem uma música... Pois é temos um cd, kkkkkkkkkkkkkkk

Ceumar - CD Sempre viva


Prenda Minha
Composição: Gero Camilo

Prenda minha
tu me faz bem
Muito aquém (eu digo muito além)
do que mereço
Mais eu desejo
Que esse bem assim
feito água em pote
Faça umedecer
um coração que sofre
Faça umedecer
Um coração que sofre

Outra Era
Composição: Fagner / Zeca Baleiro

Quando a vida me leva
Pra longe do meu bem
Fico parecendo um trilho
Onde não passa trem
Olho pro céu o céu é mais além
Miro o espelho e não vejo ninguém
Tambor dentro do peito, coração manera
Pára de chover que já é primavera
A manhã já vem e parece quimera
Mera fantasia de quem só espera
Se eu não morrer
Eu vou te ver‘manhã depois em outra era
Em Tel Aviv, Bagdá, Brasília
A saudade ilha
E quem dera eu fosse o mar, quem dera
Em Fortaleza, Pequim, Bora-Bora
A tristeza chora
Quem dera eu pudesse te beijar agora

Boca da Noite
Composição: Ceumar / Chico César / Tata Fernandes

Da boca da noite ao pingo do meio-dia
Passei horas procurando a tua boca
E ela não respondia
Por amor ou euforia
Tudo de novo eu faria
Por amor ou euforia
Eu faria tudo de novo
Derreteria a neve
Explodiria a nave
Derreteria a neve
Explodiria a nave
Cantaria Wave
Por amor ou euforia
Tudo de novo eu faria
Por amor ou euforia
Eu faria tudo de novo


É só tocar no ponto G da bomba H...

domingo, maio 06, 2007

Mais um fim de semana inesquecível

Deveria dizer que eu estava esperando por uma experiência arrebatadora para escrever aki, mas ultimamente tem sido assim mesmo, eu não tenho escrito muito, sempre essas fases, kkkkkkkkkkkk

Só que eu não espero a vida passar por mim e muito menos espero um convite para viver, contudo para escrever eu tô precisando de estímulos como o de hoje, kkkkk, fazer o q...
Bem, vamos ao q interessa...

Eu tenho aprendido muito com os meus amigos, aprender a amá-los é muito fácil, aprender a cultivá-los é uma necessidade, mas o que tenho aprendido tem sido muito diversificado ultimamente, tenho aprendido a me ver na vida deles, a aceitar novas amizades mesmo que o sentimento pudesse ser mais forte, a crescer em relacionamentos novos e eternos, a curtir cada vez mais com planejamento ou sem planejamento...

E em encontros ao acaso, em convites em cima da hora e em saídas planejadas eu tenho vivenciado situações deliciosas, tenho optado por estar mais felix q nunca, tenho sorrido compulsivamente, falado e ouvido como nunca, e fico recordando carinhosamente depois...

E ainda não tô muito p escrever, ou me perdi por aki mesmo, mas é quase isso...
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk