0

0

segunda-feira, dezembro 17, 2007

Ed io chi sono ancora?


Dopo de le sue bacci, abracci, afetto...
Dopo de stare ensieme, cosi vicino, cosi con te...
Dificile de pensare che un semplice riguardo poteva trasformarsi in tutto che abbiamo ripartito, sognato, vivuto, impazziato...
Ti guardo com me, qui vicino, anche che stia piú lontano...
Ti guaderó com me per sempre, fra che altra volta saremmo due...

domingo, dezembro 09, 2007

Mudando o rumo da história ou da estrada...



E eis que há uma luz no fim do túnel...
Na verdade sempre lá esteve, eu que relutava ou não conseguia destinguí-la no meio da escuridão...
Não errei o caminho, nem me perdi na escuridão, mas me prendia aos obstáculos, esmurecia ao não ver a luz no fim do túnel...
Mas deixei que a história muda-se de figura
Aprendi a colaborar para que o desenvolver do percuso, da experiência, do cotidiano e do inesperado fosse o mais natural e proveitoso possível...
A estrada pode até ficar interditada, pode até nem ser mais trafegável, mas eu vou seguindo, eu estou atenta e isso faz toda a diferença...