0

0

segunda-feira, junho 24, 2013

Antes e depois, amanhecer ou pôr-do-sol

Um rapaz e um moça que se conhecem em um trem e decidem passear por Viena e desfrutar da companhia um do outro.

Faz oito anos que assisti pela primeira vez ao filme Antes do Amanhecer, lembro que achei o título estranho, sem indicação de um amigo dificilmente o assistiria. Pouco depois assisti também a sequência Antes do Pôr-do-sol. 

Fiquei encantada com a poesia e o romance apresentado através da história daquele casal, e julguei que o mais próximo que poderia chegar daquela qualidade estética seria criando alguma história de amor.

Reassisti-os mais uma vez na expectativa de conhecer a nova sequência, Antes da Meia-noite.

Não teria como processá-los da mesma maneira que da primeira vez. Fui redescobrindo aquela história de dois desconhecidos que se apaixonam em um dia e ao mesmo tempo redescobrindo a minha, percebendo   mais semelhanças do que pensei ser possível.

Um rapaz e uma moça que se conhecem em um alojamento em Recife, reencontram-se em um show e desfrutam da companhia um do outro. 

Eu tinha vinte e dois anos quando viajei para Recife para um encontro de estudantes de história. No último dia conheci um rapaz, passamos um madrugada em claro conversando e ao raiar do sol nos separamos, ele voltou para Bahia, e segui para Alagoas. 

Conversamos nos dias que se seguiram sobre um reencontro, sobre nosso encontro, sobre o dia-a-dia. A distância facilita desentendimentos e assim as conversas ficaram desencontradas e reencontros parecem impossíveis. Aquele encontro ainda inspirava ambos, tanto que o rapaz decidiu conhecer Alagoas. Ainda me lembro do nosso encontro desencontrado na Rodoviária. Foi um dos dias mais marcantes de minha vida, no dia seguinte antes do Pôr-do-sol estávamos novamente na Rodoviária nos despedindo.

Você também já viveu algo parecido? Imagino que como estas histórias ainda existem tantas outras, e espero ainda poder desfrutar e conhecer algumas delas.