0

0

terça-feira, abril 24, 2007

É Salvador

ConhecÊ-la aos treze anos foi interessante, mas nada se compara ao reencontro com ela à beira dos vinte e dois anos...
A orla que antes me ficara como feia, hoje me parece encantadora, pois as pedras não são mais impecilho e sim beleza, a ausÊncia de coqueiro ainda incomoda, mas as curvas, oh as curvas... Ao chegar numa delas e observar ao longe as dobras que ainda serão percorridas...
Uma metrópole, eu não tinha muita noção do que isso era, hoje eu sei, não é ser big, nem super moderna ou urbana, mas é comportar o urbano e a cultura, é ter identidade mesmo com tanto desenvolvimento, é preservar e ter orgulho de sua história, sem vangloriar conquistas pseudo históricas...
E celebrar cada diferença, na cidade que vibra, canta e dança, é de uma magia que precisa ser experimentada pelos que ainda não a conhecem. É encantamento de matuta sim, pois como todos os outros lugares do mundo a violência, descaso e a fome também residem por lá. Não foi difícil ver favelas ou pessoas pela rua, e foi até alarmante perceber q por ser tão grande, isso também engradece as diferenças e a pobreza, pois lá tb tem prédios abandonados, pessoas abandonadas e histórias abandonadas...
MAs onde hj em dia ainda é um bom lugar para se viver??
Onde a gente escolhe é um bom lugar p se viver, onde a gente se realiza é um bom lugar p se viver, onde a gente encontra alento é um bom lugar p se viver...
Eu sei que o meu futuro passa por Salvador, então fico muito feliz por saber que agora sei um pouco do que essa cidade pode me oferecer, e o que estou ansiosa para aproveitar o mais rápido possível, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
ÊêÊÊê Salvador
Bjos

quinta-feira, abril 12, 2007

O que seria de mim...

Sem as lembranças eu sei que nada sou
Como não repassar a sensação de alguém lhe chamar carinhosamente?
Como ignorar as alegrias de uma amizade?
Ou até fingir que não sorrimos que nem bobos ao sermos tocados pela singeleza de determinados momentos...

Pois é, eu adouro, adouro ser chamada de lá, lalá, lari, laris, larica, larissinha, marcela, quando isso representa todo o carinho que eu recebo, desperto e que me fortalece e me faz mais eu.
O bom é perceber que a mágica disso, desse ser chamado e desse carinho nunca morre, e sempre surge mais do mesmo ou de outros.

E quando somos reconhecidos em nossos atos entaum, ai que indescritível...
Como ao embalar tão singelamente e esteticamente o presente de aniversário para minha maninha e escutar ela dizer que não podia abrí-lo pois tinha achado a embalagem linda. É claro q é todo um conjunto, ela é especial p mim e eu p ela.
MAs quando é no começo de uma amizade, no meio ou no fim, tudo pode ser tão intenso quanto, tão realizador quanto, tão espontâneo sempre...

Nunca mais tinha divagado, né?!

terça-feira, abril 10, 2007

Diretora, por meia hora...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
É depois de dias como esse que todo o meu bloqueio ou minhas frescuras somem, rs
Claro que eu tô ótima, fazendo oficina de Vídeo Arte, tendo a possibilidades de conhecer novas pessoas e de conviver com as que já me encantam, precisa de mais...

Se precisa eu não sei, mas que teve, teve...
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Hoje eu fui chamada de cartunista, vi que as minhas idéias podem ter futuro e que eu devo lutar por elas sim, que as minhas fotos mudam a minha vida ou ao menos agita tudo, e que quem sabe eu não tenho futuro nesse mundo do audiovisual. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Hoje teve de um tudo mesmo. Tive que me desenhar duas vezes, um fracasso (desenhei-me como aborígene), mas o doido do professor disse q eu tinha traços de cartunistas e que eu devia apostar nisso. Tem cada uma nessa vida!!!
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Ontem eu já tinha começado a surtar para criar o que eu iria produzir no Video Arte e p minha surpresa, hj eu já tava com tudo pronto e traçado, fiz fotos dos janelões aqui de casa (q recebeu ótimos comentários no meu flog e ká na oficina tb), peguei a música da Santadica p trilha e pensei na coreografia.
Foi uma onda, foi uma dor-de-cabeça, foi um parto, pena que nessa confusão toda de pensar na idéia e produzí-la eu não defini o nome da minha idéia, talvez "projeções", acho q é por aí mesmo.
Eu não fui uma boa diretora, eu não pude fotografar, e fiquei mto perdida, mas foi ótemo, pq eu tava com a camêra na mão, pq a galera foi ótema e me orientaram mto bem...

Nem posso dimensionar o que significou o dia de hj p quem pode me observar, ou ouvir (ou ler) meus comentários, mas p mim foi demais da conta.

segunda-feira, abril 09, 2007

...

Atualizar, atualizar e atualizar.
Tudo vale a pena quando a alma não é pequena, kkkkkkkkkk
Sem criatividade ou verborragias no momento

terça-feira, abril 03, 2007

Eu que complico

- Eu tô frustrada, tive uma conversa ótima, numa semana tb ótima apesar de tensa e eu não consigo colocar isso no papel.
- E tu acha que justo eu posso lhe ajudar?!
- Vc pode muita coisa, o me ajudar é só uma troca, kkkkkkkkkkkkkk
- Mas conta então?
- Eu cheguei p encontrar um amigo, tinha que buscar algumas coisas com ele, e como não tinha pressa p ir embora acabamos puxando milhares de assuntos... E o detalhe não foi o que conversamos ou o que não conversamos, mas como eu pude me descobrir através das análises que ele fez...
- Como assim? Vc gostou de ter alguém lhe avaliando, julgando?!
- Não foi um julgamento, parecia que eu tava fazendo terapia, era como se através dos conceitos dele, ele me mostrasse o quanto eu complico os meus pensamentos, a minha vida, a minha atitude. Porque na verdade tudo que ele tentou me dizer foi que eu era mais forte e capaz do que imaginava, mas com palavras mais elaboradas ou simples mesmo.
- Mas vc não acha q mais importante do que o que ele falou foi como você recebeu o q ele falou?
- Vc quer dizer que eu tô supervalorizando?!
- Não, quero dizer que você estava esperando por isso, ou que mesmo que não estivesse esperando vc não estava fechada.
- Eu nunca consegui ser fechada, e acho q eu sempre espero, mesmo que não seja ficando parada... kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk