0

0

domingo, setembro 16, 2012

Quase completamente igual e diferente

Ao ler o título você pensou em alguém muito parecido e ao mesmo tempo diferente de você?
Os laços fraternos, consanguíneos ou não.
As influências, o que absorvermos e abstraímos.
Ao conhecer a mãe, o pai, um irmão, um amigo de um amigo conseguimos identificar rapidamente semelhanças e diferenças?
Não é muito incomum, talvez também não seja comum, captar num curto espaço de tempo como alguém foi influenciada por outro alguém, ao perceber o quanto são parecido sem fazer esforço, ou quão naturalmente diferentes.
Sou diferentemente semelhante, insuportavelmente parecida, inacreditavelmente sintonizada àqueles que amo.

terça-feira, setembro 11, 2012

O perigo de esquecer

Brincando com o esquecimento. Entre os muitos pensamentos pessoais e os raciocínios sobre as ações que precisa realizar, deveres a cumprir, informações a repassar. 
É necessário esquecer de uma coisa para lembrar de outra?
Como é o equilíbrio entre o lembrar e o esquecer? 
O esquecimento é mais faceiro e sabe dar suas rasteiras, principalmente quando não há precaução para que ele não se consolide, ou quando a sobrecarga de afazeres não nós permite retirar do fundo da mente aquele detalhe que pode fazer toda falta. 
Ao iniciar uma atividade e deparar-se com algum desvio no caminho, como evitar que o esquecimento ganhe força e não lembremos de voltar e terminar aquela atividade?
Há momentos que a dilatação da memória é tamanha que só conseguimos lembrar de alguma pendência quando quase não podemos mais resolvê-la ou quando somos surpreendidos pela consequência daquele esquecimento.
 
Mas de que adianta praticar o recordar, sem compartilhar ou aprimorar informações?
Lembrar precisa ser uma prática diária. Precaver o esquecimento é sempre um aprendizado.
Somar, dividir, subtrair e multiplicar.

segunda-feira, setembro 10, 2012

As fotos que não fiz

Ainda não sai por aí após uma chuva ou num dia chuvoso para tirar fotos da cidade até cansar.
Próximo ao meu trabalho tem uma rua que ao chover fica repleta de poças, dependendo da quantidade de chuva pode virar praticamente uma piscina. Paro e ficar analisando como fotografá-las, mas falta coragem de pegar minha câmera e ir fotografar sozinha.
Trabalhando demais, sozinha demais, protelando demais.