0

0

terça-feira, setembro 11, 2012

O perigo de esquecer

Brincando com o esquecimento. Entre os muitos pensamentos pessoais e os raciocínios sobre as ações que precisa realizar, deveres a cumprir, informações a repassar. 
É necessário esquecer de uma coisa para lembrar de outra?
Como é o equilíbrio entre o lembrar e o esquecer? 
O esquecimento é mais faceiro e sabe dar suas rasteiras, principalmente quando não há precaução para que ele não se consolide, ou quando a sobrecarga de afazeres não nós permite retirar do fundo da mente aquele detalhe que pode fazer toda falta. 
Ao iniciar uma atividade e deparar-se com algum desvio no caminho, como evitar que o esquecimento ganhe força e não lembremos de voltar e terminar aquela atividade?
Há momentos que a dilatação da memória é tamanha que só conseguimos lembrar de alguma pendência quando quase não podemos mais resolvê-la ou quando somos surpreendidos pela consequência daquele esquecimento.
 
Mas de que adianta praticar o recordar, sem compartilhar ou aprimorar informações?
Lembrar precisa ser uma prática diária. Precaver o esquecimento é sempre um aprendizado.
Somar, dividir, subtrair e multiplicar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário