0

0

sexta-feira, agosto 17, 2012

De carro pela cidade

Não tenho muitas memórias da minha infância, curiosamente uma das poucas que lembro é de estar no carro passeando pela cidade com os meus pais. E junto com essa recordação, vem os detalhes de brincar com minha mãe de observar o que passava pela janela, um lado era meu, e eu deveria dizer tudo que via passando.
Para mim essa brincadeira influenciou o desenvolvimento do meu olhar, e estimulou que eu observasse o mundo a minha volta. Observá-lo é tão maravilhoso. Mas intimidava sair de observadora para realizadora. Mas observar é essencial para realizar. Ainda quero sair por aí agindo e observando de monte, e vc?

sexta-feira, agosto 10, 2012

Barro X Asfalto

Cresci numa rua de barro sem saída e isso deu o tom da minha infância, pois a rua quase não tinha movimento de carro. Podíamos improvisar com um elástico uma "rede de vôlei" amarrando de um lado a outro nos portões da casa. Brincávamos correndo, pega-ladrão, pique esconde, pega-pega. Atravessava a rua sempre com cuidado, mas nunca precisei me jogar na frente de um carro para poder atravessá-la. Andava incansavelmente de bicicleta, pela rua e pelas calçadas. Gostava muito de explorar as calçadas de patins. Felizmente só me mudei para uma rua de asfalto depois dos 20 anos.