0

0

segunda-feira, maio 28, 2007

Eu em ti

Escrito em 21 de maio de 2007
Era nossa primeira conversa, tinha só dois dias que haviamos nos conhecido, mas não parecia, ainda mais quando sem nem hesitar ele começou a me chamar de Lari. Eu me assustei, pensei "já", mas achei que era uma demonstração de carinho tão linda, que também fui logo tratando de arranjar um apelido para ele. Poxa o apelido mais comum para Felipe é Lipe ou até Felipinho, mas eu não tava afim de ser comum, eu queria chamá-lo de um jeito só meu, kkkkkkk Prepotente não? Então decidi-me por "Fê", e ainda brinquei dizendo que fé era o que tinhamos que ter para acreditar que aquilo tudo que ali começavamos a viver era a mais pura e espontânea realidade. Ele relutou quando eu falei de fé, mas não rejeitou o "Fê", que um pouco depois começou a ter o diminutivo tb, "Fêzinho", e para mim tb, "Larinha".
Usamos mais o apelido na net, mas também é onde mais convivemos e onde vamos construindo o nosso relacionamento. Podemos ainda não ter tanta intimidade pessoalmente, mas também só saimos juntos uma vez, e como eu não sabia o que ele realmente queria comigo eu me contive, e que tarefa difícil, ter ele ao lado e ter de estar longe. Mas a nossa troca de olhares é o mais impressionante de tudo, pois eu posso tentar disfarçar o que for, que ele sempre desvenda o meu olhar, quando não adivinha meu pensamento.
Nos vimos quatro vezes só, e em todas essas ocasiões os nossos olhares se conectavam, mesmo quando se escondiam, mesmo quando nada tinham p dizer, mesmo quando nem podiam se expressar tanto. E se nessas primeiras trocas com intensidade contida já fomos tão comunicativos e inexplicavelmente intensos, imagina quando pudermos nos perder um no outro não só em palavras e pensamentos e olhares, mas de corpo e alma também, quando eu puder gritar para quem quiser ouvir e p quem não quiser tb que eu to em ti e tu está em mim.
Eu me perco em ti sempre.
E acho q a primeira vez q isso aconteceu realmente foi por conta daquele isqueiro, foi por você ter olhado p mim depois de apanhá-lo, foi por poder ver aquele seu sorriso para o isqueiro, e por poder chamar a sua atenção e lhe informar q não fora vc que o derrubara. Por você ter tocado no meu braço para demonstrar que tava gostando da conversa comigo, por me perguntar se eu tava gostando da conversa.
Foi nesse dia mesmo, nessa conversa de dois desconhecidos que eu me perdi em você desde o primeiro momento. Eu também tive que tomar meu banho de água fria, afinal você estava numa outra história, e não achei que você fosse querer fazer parte só da minha. Eu custei p acreditar que você me queria, que você também tinha se perdido em mim, mais ainda para acreditar que você vai começar essa vida comigo.
Mas é só ler suas palavras, escutar sua voz, pensar em estar ao seu lado ou poder estar ao seu lado, que eu esqueço as dúvidas, mando embora o medo, esqueço do mundo, e só quero saber de nós, só quero viver o nós, so quero que nos percamos juntos, que nos acabemos juntos...

Nenhum comentário:

Postar um comentário