0

0

segunda-feira, outubro 12, 2009

Vida de Cinefila: Um homem sem limites

Quando comecei o curso em 2003, a grade estava desfalcada sem as disciplinas de cinema que os alunos veteranos tanto me falavam, como Fundamentos de Cinema e Laboratório de imagem.
Em 2005, durante o ENECOM na Ufal, recebi o telefonema de Nilton Resende, que fora meu professor no colégio, convidando para que eu fosse continuista mais uma vez, só que dessa vez numa produção independente.
Eis que aceitei, e foi assim que fui fazer parte da equipe técnica de Um homem sem limites, que nunca foi lançado e os poucos que viram nem querem comentar sobre, rs Mas a experiência foi muito válida, pois foi a primeira vez que eu tava com um grupo direcionado a produzir, foram 12 atores, o diretor, o câmera, o faz tudo e a faz tudo (eu).
Começamos a gravar em novembro de 2005, e minha primeira tarefa foi passar as roupas do figurino a ferro, rs Era responsável pela marcação dos objetos das cenas, por acompanhar se os diálogos estavam corretos, por ajudar em alguma outra coisa que precisasse. Eramos quase uma trupe circense, vagando pelas ruas da cidade, num carro meia-boca, com luz, câmera, boom e atores. Filmamos durante duas semanas pela Ponta Verde e na praça Deodoro. E fomos obrigados a dar uma parada por problemas técnicos.
Só retornamos a gravação em fevereiro de 2006. Fomos gravar numa casa de praia em Porto da Rua, no litoral norte de Alagoas. Primeiramente foi a primeira vez que tive que enfrentar os receios de minha mãe e ir sozinha p um lugar que não conhecia e passar quatro dias dormindo com pessoas q eu conhecia mto pouco, rs
Mas foi muito bacana, depois ainda gravamos a semana seguinte num apê em Cruz das Almas. Participei também do processo de edição, em termos para aprender, e a primeira coisa que aprendi foi que a continuidade não depende apenas da gravação e sim da edição tbm.
É triste saber que eu li o roteiro que achei bacana, mas que no fim das contas a história não rendeu, e assim nunca foi lançada, e eu nunca vi, mas quem sabe um dia eu consigo ao menos ver essa recordação de quando comecei a aprender...

Nenhum comentário:

Postar um comentário