0

0

terça-feira, março 01, 2011

Línguas

Inglês


Minha mãe conta que fui eu quem pedi para fazer inglês, mas você imagina uma menina de 5 anos, em 1990, Maceió-AL, pedindo para estudar inglês? E como não me lembro, rs
O fato é que estudei inglês durante 9 anos. Era um método mega repetitivo, passávamos a aula toda  repetindo o vocabulário umas três vezes, depois repetindo umas três vezes cada parte da lição e depois dialogando exemplos ou respondendo por escrito. Davamos a lição ao professor na outra aula. Lembro-me o quanto ficava nervosa antes da prova oral, gostava muito da prova com áudio, também tinha prova escrita.
Minha formação é básica, pois a escola, Lincoln Center, não tinha preparação para os testes avançados, hoje ela nem existe mais. Até pensei em cursar novamente, contudo quando fiz teste de nível e vi que ainda teria que cursar uns quatro anos faltou coragem. Mas adotei a prática de assistir meus seriados sem legenda, leio textos em inglês quando faço pesquisas e consigo me virar na fala, contudo ainda me falta um intercâmbio ou um intensivo por aqui mesmo.

Italiano

Aos 19, matriculei-me no curso de italiano, formei-me após 3 anos e meio. Contudo seis meses depois, ficou bem claro que o meu domínio do italiano não existia, rs O método era menos repetitivo, mais diálogos, contudo para  os alunos que não dialogavam, como eu, por medo de errar, ficava mais difícil aprender. Lições, vocabulários, trabalhos, textos, provas. A gramática principalmente  não foi bem assimilada, quer dizer  não me  peça para conversar em italiano. Agora então, quase quatro anos sem estudar, não consigo me virar. Leio e entendo diálogos, mas não falo.

Francês


Era apaixonada por italiano, até que comecei a estudar francês, e acredito que o começar do francês também não ajudou muito na prática do italiano. A princípio estudei o francês como disciplina na Universidade, não foi a primeira disciplina de outros cursos que estudei. Foi uma experiência diferente pois as aulas não foram tiradas de livros. Aprendíamos a gramática e os vocabulários de acordo com o contexto abordado na aula. Superei a dificuldade de reconhecer o som e a escrita da língua, mas a pronúncia ainda é uma barreira. No ano seguinte, seis meses após terminar o italiano, matriculei-me no curso de francês. Foi um retorno ao  estudo pelo livro, contudo não continuei, ainda preciso retornar um dia.

LIBRAS  


Hoje, comecei a estudar LIBRAS - Linguagem Brasileira de Sinais. Sou fascinada por esta comunicação gestual e sinto que ela ainda não recebe a devida importância. Foi inigualável quando o professor começou a comunicar-se por  LIBRAS. Pois a princípio precisamos concentrar-nos nos gestos, e uma vez que percebemos que conseguimos compreendê-los o desafio passa a ser assimilá-los. Aprendemos o alfabeto,  e foi muito bom o exercício que ele  passou ao colocar nomes de personalidades para que sinalizassemos. Agora é praticar o alfabeto e como sinalizar nomes durante o carnaval, já que não haverá aula.Outra coisa interessante é pode utilizar as duas mãos, ao menos eu fiz questão de sinalizar com a esquerda também.
Depois do carnaval continuarei meus estudos de LIBRAS e comento mais então.
Bom carnaval!

Nenhum comentário:

Postar um comentário