0

0

segunda-feira, fevereiro 05, 2007

Do nada, sobre o nada, e para o nada

Tudo o que eu desejo ao menos nesse minuto está há mais de alguns quilometros de distância... É certo que as vezes eu posso me enganar dizendo que ele está através da tela do computador, mas de nada adianta pois o virtual não me daria o que eu desejo.
Eu até que tentei desejar o que estava mais próximo e só me deparei com uma atitude superficial, sem sentimento e quase sem consideração.
Ele também não me considerava muito no começo, eu era só mais uma, ou talvez nem isso, pois nunca fui concretamente nada p ninguém.
E eu sempre tento lidar com essas coisas de sentimento, mas eu sempre erro a medida. Tento aprender tb a deixa-los nas margens das situações, mas como vivenciar algo e não se importar com o q aquilo significa ou vai significar.
O máximo que conseguiria seria me permitir experimentar, curtir o momento, mas só seria por este momento, pois sei que consigo agir e esquecer das consequências, contudo não consigo, nem quero negar que o depois pode pesar e me fazer lamentar, por isso que hoje eu cortei o mal pela raiz.
Tinha peixe na linha, mas eu não queria fritar o coitado, mas ele queria se fritar, e eu nada pude fazer. E o peixe criou pernas e foi pastar no brejo...
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

2 comentários:

  1. ou talvez nem isso, pois nunca fui concretamente nada p ninguém.



    ó ninguém me ama, ninguém me quer.

    revitalize-se;


    pq tu modera? medo?

    ResponderExcluir
  2. ou talvez nem isso, pois nunca fui concretamente nada p ninguém.



    ó ninguém me ama, ninguém me quer.

    revitalize-se;


    pq tu modera? medo?

    ResponderExcluir