0

0

segunda-feira, fevereiro 12, 2007

Tinha peixe na linha, mas eu não queria fritar o coitado, mas ele queria se fritar, e eu nada pude fazer. E o peixe criou pernas e foi pastar no brejo

Então o que eu devo dizer, me enganar, dizendo: "ah, tem uns três carinhas que já fizeram parte da minha vida e com certeza eu significo ao menos uma linha na vida deles", no way my dear.

Descobri até que um deles nem lembra mais o meu nome, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Quem não convive com o medo, em muitos momentos congela qualquer um, mas eu não sou empatada por conta ele de fazer o que eu realmente quero.
E pode vir a vergonha junto também, eu enfrento.
E pode vir a minha imaturidade, ingenuidade, e o que mais, for, serão driblados.

Sou uma covarde, sou, pq não saio por aí, colocando minha cara a tapa, e aceitando o pouco que um certo peixe queria me dar ou o que tantos outros nem ofereceram.

Mas não sou mosca morta, sei ultrapassar limites quando preciso. Um amigo há três anos atrás, me deu o melhor conselho que já recebi: "Permita-se". E eu vou procurando e tentando novas maneiras de me permitir sempre.

E vivo, talvez não tanto quanto os outros, pois a minha vida pode parecer sem graça para quem convive com pura adrenalina, mas eu aproveito cada minuto dela.
E sei que quando puder colocar fogo ou encarar desafios, irei fazer o que estiver ao meu alcance e certas vezes coisas além do que seria o meu alcance.

Quero ser mochileira, alguém topa?
Quero fazer trilha, marcamos p quando?
Fazer o que se mais uma vez posso ter sido contraditória, talvez menos do que em tantas outras...
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Bjos

3 comentários:

  1. amanda10:32 PM

    passei por aqui ¬¬

    ResponderExcluir
  2. Amanda10:33 PM

    hahaha
    vc está um tanto quanto confusa ou é impressão?
    qm é o peixe?

    =***

    ResponderExcluir
  3. quer dizer que eu motivei?


    então melhore-se


    e

    permita-se.

    ResponderExcluir