0

0

domingo, abril 29, 2012

O florescer de um jardim

O início de nossa convivência teve palco nas oficinas do Olhar Brasil em 2008, não me recordo se já tinha visto algum vídeo ou foto de Alice Jardim.

Nesta época, fiquei com vontade de colaborar com uma homenagem que o SESC estava planejando para o fotógrafo alagoano Celso Brandão, sabia que não conseguiria colher depoimentos sobre Celso para montar um documentário sozinha.

Pensei em Alice e ao conversamos ela topou a empreitada, sem hesitar. Nosso entrosamento foi muito produtivo, apesar do pouco tempo. Gravamos 11 depoimentos em menos de duas semanas e editamos em menos de 48 horas. Foi quando Alice me mostrou a abertura de "Celso Brandão" (documentário) que iniciei minha jornada como fã do talento dela.

Logo em seguida ela fez Mané Gostoso, que tornou a minha admiração incondicional.
Suas fotografias sempre me encantaram. E cada vez que conhecia mais um pouco da criatividade, sensibilidade e olhar de Alice o encantamento aumentava. Pude contar com ela como minha assistente de direção nos meus documentários seguintes "Contos de Película" e "Cia. do Chapéu".

Em seu vídeo "Maré Viva" (2011), Alice Jardim assumiu a direção de uma equipe pela primeira vez, participei dessa construção como assistente de produção. E assim Alice mergulhou na sua paixão pela cidade, a qual teve início sabe Deus quanto tempo antes.

E nas formas geométricas da cidade floresce um Jardim estético de imagens estáticas e em movimento. Como tudo que é bom nessa vida, esse Jardim floresce em Alice a cada dia, é reconhecido pelos que o contemplam e cultivado. E um de seus frutos, que também faz parte de sua primeira exposição individual "Dobra", acaba de arrebatar os jurados na 6ª edição do Vivo Art.Mov.

Queria ter guardado a data em que "Todavia" (vídeo arte de Alice) iluminou o meu olhar. É muito forte a lembrança da emoção que me causou ver a nossa cidade (Maceió) na construção caleidoscópica criada por Alice Jardim, que fundiu imagens do cotidiano e/ou multiplicou-as em um vídeo arte exuberante. O tempo de duração das imagens, a passagem entre elas e a progressão visual foram delicadamente construídas.

Se já aguardava com ansiedade pela abertura de sua exposição, agora fica um pouco mais difícil esperar 17 de maio chegar.

Imagem de divulgação de "Dobra"  exposição de Alice Jardim que terá abertura no dia 17 de maio na Pinacoteca Universitária, Maceió-AL.




Um comentário: